As 10 melhores dicas para escrever um plano de negócios

Aqui estão as 10 melhores dicas para escrever um plano de negócios: da ideia de negócio ao planejamento financeiro e ao marketing.

Criar um plano de negócios não é obrigatório para iniciar uma empresa , mas geralmente é essencial . Nas minhas consultas aos fundadores, muitas vezes me perguntam: Existe um modelo para um plano de negócios ? A resposta é sim e não ao mesmo tempo. Sim, porque um plano de negócios possui capítulos que respondem a perguntas sobre o modelo de negócios, a equipe empreendedora ou o mercado. A este respeito, existe um esquema comprovado. Este esquema é apresentado aqui. Todo mundo que lê o plano de negócios – como funcionários de bancos, capitalistas de risco ou parceiros de cooperação – está familiarizado com esse plano.

A resposta é também: não. Aqueles que esperam um estêncil acabado devem ficar desapontados. Escrever um plano de negócios serve a um propósito essencial: obriga o empreendedor * a considerar todos os aspectos de seu projeto, responder a quaisquer perguntas que surjam e chegar consistentemente ao fim das idéias iniciais, como como levar um serviço ou produto ao cliente pensar. Existem muitas idéias. Mas somente com o plano de negócios se torna uma ideia de negócio viável.

A estrutura que eu tentei e testei mil vezes é mostrada aqui:

  1. Resumo Executivo: Resumo
  2. Ideia de negócio: com o que e como é feito o dinheiro?
  3. Equipe empreendedora: quem são os fundadores e a gerência?
  4. Análise de mercado: qual o tamanho do mercado?
  5. Marketing: Como faço para divulgar minha oferta?
  6. Barreiras à entrada: O que mantém minha concorrência em andamento?
  7. Organização: Qual é a estrutura da empresa?
  8. Planejamento financeiro: como as vendas se desenvolverão?
  9. Plano de realização: como os pacotes de trabalho são estruturados e planejados?
  10. Oportunidades e riscos: Como você usa oportunidades e contém riscos?

Escrever um plano de negócios é sempre útil quando há uma transição. Antes de tudo, é claro, essa é a base em si: uma estrutura é criada no papel a partir de uma estrutura turva com muitas perguntas. Mas mesmo em uma empresa já estabelecida, ajuda a elaborar um plano de negócios para o estabelecimento de uma nova área de negócios ou para a futura internacionalização.

Comece a escrever o que o move quando inicia seu negócio. Crie uma lista de perguntas. Você encontrará muitas respostas ao escrever o plano de negócios. Levará tempo para implementar, mas no final você economizará muito dinheiro.

Aqui estão minhas melhores dicas para você criar seu plano de negócios.

1. Sumário Executivo

O Resumo Executivo é mais do que apenas um resumo. O “Resumo para os tomadores de decisão” deixa claro o que se entende: Quem lê o resumo do seu plano de negócios deve ficar tão curioso que decide continuar lendo. Mas somente aqueles que continuam lendo lhe darão dinheiro ou iniciarão negociações com você.

Dicas para o Resumo Executivo (ES):

  • Escreva apenas o ES no final quando tiver uma visão geral completa do seu projeto empreendedor.
  • Não cresça mais que uma, no máximo duas páginas.
  • Entre em todos os pontos do plano de negócios e não se esqueça de equipe, marketing ou finanças.
  • O resumo executivo é a sua carta de inscrição ao banqueiro, ao capital de risco ou a um parceiro de cooperação. Faz parte do início do seu plano de negócios, logo no início.

2. Ideia de negócio

Uma ideia por si só não vale muito. Somente quando você puder explicar como pode ganhar dinheiro com isso surgirá uma ideia de negócio. Você vê uma necessidade no mercado e possui uma solução para atender aos requisitos do cliente? Então você está no caminho certo. O valor de um produto é geralmente medido pelo benefício para o potencial comprador.

Descreva o que constitui sua ideia, como surgiu e como você pode usar seu serviço para oferecer uma solução de problemas para clientes em potencial. É sobre o benefício do cliente.

Portanto, seu produto pode ter recursos de qualidade e pode ser usado por mais tempo ao mesmo preço de mercado. Isso permite que o cliente adie uma compra de substituição no futuro. Ou seu produto possui o recurso de uma linha direta adicional de 24 horas. O cliente considera esse serviço agradável. B. se ele tiver problemas com o novo computador. As vantagens de custo entram em jogo quando sua máquina usa menos eletricidade. Este é um argumento de vendas que não deve ser subestimado. Porque os custos referem-se não apenas aos custos de aquisição, mas aos custos totais durante um período de uso (custos operacionais totais ou custo total de propriedade). Por outro lado, há vantagens em termos de tempo com os serviços de entrega: de pizza a mantimentos do supermercado a serviços de reparo. O cliente gosta de pagar um prêmio,

O posicionamento em comparação com a concorrência será particularmente relevante para o seu sucesso no mercado. Se você levar um produto ao mercado que já existe – como uma cafeteria ou uma padaria – terá que se esforçar bastante para se diferenciar. Isso se aplica ainda mais se o mercado não estiver crescendo. Você convence com qualidade e serviço ou deixa o cliente fazer muito para economizar pessoal e oferecer seus produtos mais baratos.

Inovações técnicas são mais fáceis. Um novo medicamento para a terapia do câncer de mama pode ser uma inovação. É baseado em uma patente que pode ser usada para proibir que outros ofereçam a mesma coisa. É diferente com aspirina. O ácido acetilsalicílico (ASS) da matéria-prima química, por ser uma invenção muito antiga e com patente expirada, agora pode ser oferecido por muitos fabricantes, incluindo empresas da Índia que podem produzir mais barato devido aos baixos custos de mão-de-obra.

Anote quais características você deseja usar para se diferenciar da concorrência. Quanto mais cedo você fizer isso, mais cedo poderá incorporar suas considerações ao design da sua oferta.

Dessa forma, você se dedica à sua proposta de venda exclusiva. Este é um termo muito importante: no final, é o recurso de desempenho que o diferencia da concorrência. No anglo-saxão, é sua proposta de venda exclusiva (USP), sua oferta de vendas exclusiva.

Se sua ideia de negócio estiver pronta, o próximo passo é sobre os processos necessários para vender seu produto no mercado. Você ainda pode ter que pesquisar ou avançar em um processo de desenvolvimento. O dispositivo que você tem em mente funciona em um protótipo que você criou diligentemente em sua própria garagem, mas para transformá-lo em um produto comercializável, é necessário desenvolver componentes, programar placas de circuito e aperfeiçoar o design.

Inspeção de qualidade, fabricação, marketing e vendas são outras etapas genéricas pelas quais você deve passar em sua empresa para atender seus clientes e poder vender um produto mediante fatura. Obviamente, este é apenas um exemplo aproximado, mas a idéia básica ajuda a derivar as etapas essenciais do seu valor agregado para o seu projeto empreendedor. Também se fala da cadeia de valor.

As etapas relevantes da cadeia de valor foram apresentadas rapidamente. Mas o desafio é encher a vida toda, especialmente se você é apenas uma equipe pequena. Esta é a má notícia. A boa notícia é: você não precisa executar todas as etapas da empresa. Pense em quais parceiros qualificados você pode atribuir tarefas na forma de pedidos. A contabilidade é um exemplo simples. Um provedor de serviços pode fazer isso bem. Mas também leia o exemplo a seguir da minha prática de consultoria.

Exemplo prático

Mark Wehner, da MarkWehner-Protect GmbH, inventou uma proteção superior de grafite para paredes e pisos. Ele começou como uma empresa individual e está indo de sucesso em sucesso. Muitos hotéis conhecidos já estão usando sua invenção para uma proteção superior do edifício: Wehner atribuiu quase todos os processos. Embora ele próprio seja químico, ele não possui seu próprio laboratório, mas desenvolveu-o em outros laboratórios. A produção de acordo com suas especificações é realizada por um fabricante que rotula as mercadorias e as entrega. Hotéis ou vilas e cidades recebem dos artesãos locais uma solução para seus problemas antes que o vinho tinto ou o grafite possam penetrar na alvenaria. Wehner se concentra nas vendas, porque: Ninguém mais pode vender tão convincentemente quanto ele.

Agora, você saltou com sucesso da ideia para a ideia de negócio (como deseja ganhar dinheiro) e o modelo de negócios (quais processos são necessários para isso) para o sistema de negócios: Porque com a questão de você executar os processos você mesmo ou etapas individuais terceirize outros especialistas, você já está configurando seu sistema comercial.

Faça ou compre ou simplesmente coloque: a decisão “faça você mesmo ou compre” pode simplificar sua vida empreendedora. Obviamente, a terceirização também deve ser financiada. Ninguém fornecerá seu tempo, know-how, máquinas e funcionários gratuitamente. Você não acabaria fazendo isso pelos outros. Mas a terceirização direcionada e bem considerada oferece liberdade. Dessa forma, você pode se concentrar em seus pontos fortes. Ao se concentrar em suas chamadas competências essenciais, você provavelmente obterá maior alavancagem para obter sucesso e crescimento para sua empresa.

Isso se aplica apenas a empresas de produtos? Não, os provedores de serviços podem fazer o mesmo. Você não precisa ser um gênio do idioma para oferecer serviços de tradução para todos os idiomas do mundo. E mesmo um serviço de artesão não precisa fazer um martelo.

Observação: o benefício é sempre definido do ponto de vista do cliente e não do ponto de vista de uma invenção ou tecnologia. Por fim, um paciente não se importa se melhora com quimioterapia, radiação ou um novo medicamento. O benefício do usuário é muito importante. Os recursos técnicos são geralmente de importância secundária.

3. Equipe de empreendedores

O que é mais importante? Um bom produto ou uma boa equipe? Quem ouve os profissionais e os financiadores costumam ouvir: é melhor ter uma boa equipe. Porque isso é capaz de resolver as perguntas sobre um produto não ideal. Uma equipe ruim com deficiências empreendedoras também pode “colocar uma boa idéia na areia”.

Portanto, seu capítulo sobre você e a equipe deve abordar vários aspectos:

  1. O que foi alcançado
  2. O macio
  3. O futuro

Primeiro, descreva o que você pode fazer e como chegou onde está hoje. Relate seu treinamento, experiência profissional e realizações especiais. Isso pode ser tanto a publicação de um livro sobre um tópico especial quanto a participação na construção de uma planta de produção ou o gerenciamento de um departamento de dez pessoas.

Segundo, os fatores leves são importantes, as chamadas habilidades sociais. O que o distingue quando você sai da sua área de especialização? Os talentos multidisciplinares são muito importantes no caminho para o sucesso empresarial. Você mostra habilidades de negociação? Quão boa é a sua rede? Você já tem experiência internacional e um talento especial para outras culturas?

Terceiro, você deve nomear a posição que cada pessoa na nova empresa assume e pela qual é responsável.

Dica: As funções na empresa devem ser esclarecidas com antecedência, para que não haja divergências posteriormente. Faz parte do processo de formação de equipes.

Você pode anexar um currículo curto em forma de tabela ao plano de negócios. Isso se aplica a todos os membros da equipe pertencentes à gerência. Mas preste atenção à mesma tonalidade e a um valor comparável nas breves descrições e no currículo. Se uma pessoa dominar, será difícil aliviar o espírito de equipe.

Faça uma análise de lacunas. Ele revela as lacunas no perfil de habilidade comum. Uma análise honesta dá a você a chance de complementar a equipe ou abordar parceiros que podem assumir tarefas.

4. Análise de mercado

“Somente clientes concedem à empresa o seu direito de existir”. Isso é compreensível? Bem, é uma pergunta retórica para você como um aspirante a empreendedor. Muitas mulheres fundadoras acham difícil avaliar o mercado e como quantificar a necessidade. Então não é só você. Além disso, a pesquisa de mercado nunca fornece dados 100% precisos. Familiarize-se com a ideia de trabalhar com estimativas e observar o mercado é uma tarefa constante e não pontual para um bom empreendedor.

Primeiro, duas coisas são importantes: estimar o tamanho do seu mercado e análise competitiva.

Descrição do mercado

Primeiro de tudo, você precisa definir seu mercado. Quem são exatamente seus clientes e em que região? Quanto mais precisamente você obtiver sucesso, mais fácil será para você se diferenciar da concorrência e tomar as medidas certas para tornar seu serviço ou variedade de produtos conhecido por potenciais compradores.

Portanto, escreva: Meus produtos de limpeza com fator de higiene X são vantajosos para todos os edifícios públicos com tráfego público. Por exemplo, hospitais, autoridades ou escolas podem ser considerados para seus pacotes grandes. Agora tudo o que você precisa fazer é registrar a região na qual você entregará. Seu modelo de negócios já fornece informações sobre esses aspectos logísticos. Caso contrário, é hora de pensar nisso agora.

Compilar os dados pode ser mais fácil se você entrar nos mercados existentes. Muitas vezes, existem dados sobre o número de certos grupos de compradores – como hospitais. Você recebe essas informações de associações, de relatórios anuais, de estudos de mercado acessíveis na Internet ou do Federal Statistical Office. Nos mercados existentes, a concorrência é certamente maior e você deve se diferenciar da oferta existente com seu produto, com um ponto de venda exclusivo e distintivo.

É exatamente o mesmo com as inovações técnicas: a pressão competitiva pode ser menor, mas você não poderá evitar conversar com tomadores de decisão e especialistas do setor para avaliar o potencial do seu novo produto. Portanto, a pesquisa de mercado é inteiramente sua. Como você pode ver, sempre existem dois lados da mesma moeda.

Dica: Ter mais perguntas do que respostas é uma condição permanente do empreendedorismo. Como empreendedor, aprenda a lidar com isso.

A análise de mercado é um tópico extenso que não pode ser tratado conclusivamente aqui. Algumas definições ajudarão você:

Tamanho do mercado

Esse é o número de todos os produtos de um tipo vendidos em uma região em uma unidade de tempo. O volume de mercado em euros é multiplicado pelo preço do produto. Esse tamanho também pode ser chamado de rotatividade total de uma indústria com um produto. Como base, ambas as quantidades, p. B. refrigeradores, bem como unidades, p. B. toneladas de sabão em pó.

Quota de mercado

Essa é a porcentagem de suas próprias vendas em relação ao tamanho do mercado no momento atual. Este cálculo também pode estar relacionado ao potencial futuro do mercado.

Potencial de mercado

É claro que as tendências do mercado, como o aumento da demanda por produtos ecológicos ou o envelhecimento da população na Alemanha, determinam o tamanho futuro do mercado e, portanto, têm um impacto na atratividade do mercado. Com um novo produto, sua participação no mercado poderá crescer mais rapidamente que a participação da concorrência por um período no futuro.

Crescimento de mercado

A atratividade de um mercado também é medida pelo crescimento. Geralmente, você fornece o crescimento em porcentagem como uma taxa de crescimento por ano, com base nas unidades de medida ou na rotatividade total.

Sapo ou vista aérea?

Análise de mercado de cima para baixo ou de baixo para cima – o que é recomendado? Somente aqueles que definem meticulosamente seu mercado e capturam grupos de clientes em potencial gerarão números confiáveis ​​com base nos recursos existentes. Para avaliar o potencial de mercado a longo prazo para inovações técnicas ou para sustentar a visão da empresa, também vale a pena dar uma olhada de cima para baixo, ou seja, estimar a porcentagem de mercado que você gostaria de alcançar em cerca de dez anos após o lançamento do produto.

No entanto, recomenda-se cautela para evitar negociações excessivamente eufóricas, porque essas considerações não permitem que sejam feitas declarações confiáveis ​​sobre o tempo, investimentos e pessoal necessário para atingir as metas percentuais. Basicamente, as considerações do ponto de vista de um sapo e de um pássaro devem encontrar plausivelmente estimativas de números realistas e não devem estar muito distantes. Uma estimativa realista do mercado é a base de todo o planejamento operacional.

Analise competitiva

Um bom empreendedor sempre fica de olho nos concorrentes. Como recém-chegado, você deve se concentrar aqui. Avaliar incorretamente os pontos fortes da concorrência pode consumir seus próprios recursos. Não conhecer suas próprias forças seria tolice.

Dica:  faça uma análise de perfil de seus concorrentes mais fortes, avaliando de forma compreensível os recursos mais importantes do seu próprio produto, de acordo com o sistema de notas da escola em uma comparação quantificadora.

Um diagrama mostra ao leitor de maneira impressionante os pontos fortes do seu projeto empreendedor e é ainda mais informativo do que uma tabela. Se apenas duas características são decisivas para a diferenciação, como “atendimento ao cliente adicional após a compra” e “preço”, uma matriz bidimensional também é muito útil.

5. Marketing

Marketing é determinar a melhor combinação de medidas que você pode usar para alcançar seus grupos de compradores em potencial com eficiência. Portanto, você precisa aprender a classificar seus clientes em segmentos, ou seja, grupos o mais homogêneos possível. Nos segmentos de clientes individuais, você pode tomar medidas focadas em cada grupo-alvo para incentivá-lo a comprar.

Na área de bens de consumo, é possível diferenciar de acordo com as características geográficas (regionais, nacionais ou internacionais, determinados países) ou demográficas (gênero, idade, ocupação, renda). Ou você pode usar o comportamento do comprador, como a frequência com que um produto é comprado, a preferência da marca ou os elementos do estilo de vida.

No setor de bens industriais, recomenda-se uma diferenciação de acordo com características estatísticas (tamanho da empresa, setor), comportamento de compra no setor B2B, por exemplo, com vistas a valores como liberdade de manutenção, consistência, percepção de preço ou urgência da necessidade.

Os segmentos devem ter um certo tamanho e uniformidade para que você possa ajustar de maneira ideal seus instrumentos de marketing. Com uma análise honesta, você evita o direcionamento incorreto das despesas de marketing. Você deseja convencer os grupos-alvo do seu produto o máximo possível, sem perda de dispersão – e com os argumentos certos.

O posicionamento da sua oferta é geralmente importante: por que um cliente deve comprar de você em todos os lugares? Você conseguiu delimitar a descrição do seu modelo de negócios ou a análise de mercado dos capítulos. Caso contrário, é hora agora. Agora vale a pena conhecer sua proposta de venda exclusiva. Porque se você não entrar no mercado com uma posição única e convencer com recursos de qualidade, poderá pontuar apenas com as vantagens de preço ou tempo. Mas isso requer uma estratégia de marketing completamente diferente.

O mix de marketing ou o 4P

Para colocar com antecedência: muito poucos que escrevem um plano de negócios pela primeira vez têm o capítulo Marketing sob controle. Quem é surpreendido? O marketing é frequentemente igualado à publicidade: isso está errado!

Para divulgar uma oferta de produto ou serviço, é necessária uma visão diferenciada. Uma mistura equilibrada deve ser encontrada. Os especialistas costumam falar de um mix de marketing.

Os quatro Ps descrevem uma ferramenta que permite um procedimento estruturado para o capítulo Marketing no plano de negócios. 4P significa em inglês: produto, preço, local e promoção. Produto e preço são informais. Local significa vendas e promoção significa comunicação com o cliente. O marketing é frequentemente reduzido a esse último ponto, às medidas de publicidade e ao diálogo associado com o potencial comprador, mas um após o outro.

O produto

Aqui você descreve as propriedades do seu produto. Eles registram as características particularmente vantajosas em relação aos produtos concorrentes. Agora, ao descrever seu produto, aplique uma diferenciação. Além do equipamento básico, vários aspectos adicionais podem ser interessantes para certos grupos de compradores. Uma estratégia que a indústria automotiva está nos mostrando com pintura individual e equipamento técnico.

O preço

Logo fica claro que o preço é uma ferramenta de marketing se você assumir o papel de comprador e analisar qualquer processo de compra. Obviamente, todos estão dispostos a aceitar o preço marcado do fabricante se a qualidade disponível fornecer um valor proporcional ao preço. Os custos de fabricação são pouco relevantes para os preços. Você deve perguntar o preço que um grupo de clientes, por exemplo, com uma certa renda, está disposto a pagar.

A diferença entre o preço e os custos de fabricação relacionados à peça determina o lucro por unidade vendida. No entanto, você deve se concentrar apenas nos custos de fabricação para determinar o preço quando a situação ameaçar que você venderá sem nenhum lucro. Enquanto isso, você faria bem em determinar o benefício que o cliente obterá ao comprar seu produto. O conhecimento das cadeias de valor do cliente no setor de bens industriais é, portanto, de grande importância ou a determinação precisa dos benefícios para um segmento de bens de consumo.

O tópico de precificação é um desafio constante para o aspirante a empreendedor. Portanto, obtenha o máximo de informações possível, por exemplo, sobre redes e trabalhe em um argumento conclusivo.

Exemplo prático

Um especialista da indústria se torna autônomo após dez anos. Que taxa diária ele pode solicitar conselhos sobre a instalação de plantas industriais? Ele já ouviu falar de altas taxas diárias de consultorias de gestão conhecidas, com mais de 2.000 euros. Mas ele próprio ainda é desconhecido no mercado. Então ele pensa: um especialista teria uma renda anual de 80.000 euros. Com contribuições de previdência social de 23%, o cliente teria que pagar cerca de 100.000 euros, com 220 dias úteis em torno de 460 euros por dia. Como alternativa, o cliente pode aproveitar os dez anos de experiência do consultor. Se necessário, a colaboração pode ser interrompida imediatamente. Isso deve valer um fator de 3 para o cliente em potencial. E assim o especialista escreve uma taxa diária de 1.380 euros em sua oferta.

Vendas (local)

Nenhum produto se vende.Você precisa de um lugar, uma maneira, um canal de vendas para que seus clientes em potencial possam descobrir sua oferta. Você pode escolher vendas diretas ou contratar uma organização especializada em vendas.

A venda direta é ideal se, como especialista, você precisar vender um produto que exija muitas explicações ou se for importante para o desenvolvimento de sua oferta que seus especialistas em desenvolvimento entrem em contato com os clientes. O tamanho de um único pedido ou se você já conhece muito bem seus clientes, fala em favor das vendas diretas da sua empresa.

Recomenda-se a distribuição indireta por meio de parceiros se o produto for auto-explicativo, se os clientes estiverem geograficamente distantes ou se o risco associado à compra do produto for bastante baixo. Pedidos pequenos ou o fato de seu produto estar bem abastecido ou de que a logística estabelecida possa ser usada falam em favor de trabalhar com uma empresa parceira em vendas.

Comunicação (promoção)

O espectro de comunicação com o cliente, a promoção, varia de publicidade clássica em jornais, revistas, rádio e televisão, bem como a Internet, a artigos em mídia especializada e contato direto com o cliente. Ações como a distribuição de amostras gratuitas no ponto de venda, o local onde os clientes podem comprar seu produto, também estão incluídos. As visitas e feiras de clientes são outros formatos com contato direto com o cliente para produtos que exigem explicações.

O conceito 4P é ideal para trazer estrutura ao capítulo de marketing. Portanto, mantenha seu foco. No final, não é o grande número de medidas que é decisivo, mas o efeito sobre o comprador. É melhor pensar um pouco mais do que alguns menos, porque no final você precisa orçar as medidas tomadas.

6. Barreiras à entrada

A barreira à entrada é multifacetada. As barreiras à entrada nada mais são do que os motivos que impedem que outras empresas entrem no mesmo mercado que você com produtos similares.

Exemplos de barreiras à entrada são:

  • Vantagem do conhecimento: ninguém pode copiar seu conhecimento tão rapidamente porque você lida com um tópico há muito tempo. Há muito que você evita os erros que seus concorrentes cometem.
  • Liderança em tecnologia: Com um avanço no conhecimento, você pode se tornar um líder em tecnologia que introduz novos produtos no mercado em intervalos curtos a partir de uma plataforma.
  • Patentes: idealmente, você cria uma patente com uma invenção técnica, nova e comercialmente aplicável e, assim, obtém um direito de proibição temporal e regionalmente restrito a terceiros.

Uma boa reputação também é a base para o reconhecimento no mercado. Você constrói uma marca que impede que outras pessoas entrem no mercado, porque clientes novos e existentes recorrem a você várias vezes sem precisar fazer muito marketing. Por exemplo, se a sua qualidade como especialista na abertura de tubos entupidos com microorganismos diminuiu. Com redes de vendas exclusivas em novos mercados por meio de parceiros, você também pode bloquear o acesso ao mercado de seus concorrentes. A criação de barreiras é uma tarefa permanente e parte da estratégia corporativa.

7. Organização

Neste capítulo do plano de negócios, você descreve como sua empresa está estruturada e organizada. Prossiga na seguinte ordem:

  1. Forma legal
  2. Localização
  3. Acionistas e participações
  4. Organização de processos
  5. Organização (organograma)
  6. Planejamento de RH

Nomeie a forma jurídica da sua empresa ou empresa a ser fundada. A escolha da forma jurídica precisa ser cuidadosamente considerada. As formas jurídicas usuais são o único proprietário, a empresa de direito civil (GbR), a empresa empreendedora (UG), a sociedade de responsabilidade limitada (GmbH) ou a pequena corporação (AG). Como regra, as diferentes formas de responsabilidade, aspectos tributários ou a transferibilidade das ações da empresa são importantes.

Dê a sua localização. Se você pode ou ainda precisa escolher o local, por exemplo, porque o patrocinador ou capitalista de risco também tem uma palavra a dizer, explique sua decisão. A proximidade do mercado, dos parceiros de cooperação que compõem um componente essencial do seu valor agregado, também pode influenciar a escolha do local.

Em seguida, você representa os acionistas e as participações acionárias, talvez você seja o único fundador, mas talvez você já tenha co-parceiros. Liste os nomes e a taxa de participação. Isso é importante o mais tardar quando o leitor do plano de negócios é um novo co-proprietário, como um capitalista de risco.

A organização do processo segue perfeitamente o que foi dito na seção 2.1. Porque a organização pergunta quais são seus principais processos de negócios e quais processos servem como suporte. Ambos os processos principais da cadeia de valor e as funções de suporte podem ser terceirizados (fazer ou comprar).

Por fim, um organograma fornece à sua empresa uma estrutura que você pode transmitir ao mundo exterior. Veja os organogramas das autoridades federais como exemplo na Internet ou os relatórios anuais das empresas listadas. Lá você encontrará exatamente seus contatos para pesquisa, finanças ou gerenciamento. Um organograma expressa as responsabilidades da empresa e quem se reporta a quem. Como um operador único sem funcionários, isso pode não lhe parecer útil: com o primeiro funcionário e a divisão de tarefas e responsabilidades, o valor agregado rapidamente se torna claro, por exemplo, para fornecedores e clientes.

Se você está planejando uma empresa em crescimento, não pode deixar de dizer algo sobre planejamento de pessoal. Como a escassez de trabalhadores qualificados é um problema na Alemanha, o empresário prospectivo planeja estruturas e perfis de emprego em um estágio inicial. A reputação da empresa também está desempenhando um papel cada vez mais importante. A palavra da marca do empregador, marca do empregador, está dando a volta.

8. Planejamento financeiro

O capítulo de planejamento financeiro precisa de sua atenção por dois motivos:

Primeiro: As finanças de um projeto empreendedor estão frequentemente interligadas com outras medidas. Pense no planejamento de pessoal, marketing ou investimentos em máquinas. Você só pode mostrar o que criou em outro lugar.

Segundo, o planejamento financeiro é um novo território para muitas mulheres fundadoras. Você precisa criar uma base de conhecimento na qual possa construir, a fim de contratar uma consultoria tributária para contabilidade e análise mensal de negócios (BWA).

O material para planejamento financeiro não pode ser totalmente registrado aqui. Aqui você encontrará os termos essenciais e uma primeira introdução. Especialização e portais de internet qualificados devem ser apontados para o aprofundamento.

Dica: dê uma olhada no YouTube. O canal de vídeo na Internet tem vídeos muito bons sobre o assunto. Para fazer isso, digite os termos-chave mencionados nesta seção na pesquisa e deixe-se levar pela curiosidade.

Todo mundo faz um planejamento financeiro um pouco diferente, então não se confunda. Aprenda e ative seu conhecimento sobre a criação de modelos do Excel. Indo para as “bases” e criando modelos feitos sob medida, você compensa a longo prazo. Você desenvolve seu próprio entendimento dos relacionamentos.

O plano de necessidades de capital

Antes de iniciar, você não pode evitar determinar o capital necessário para a fase de inicialização e inicialização:

  1. Custos da fundação (consultoria, notário, honorários, inscrição no registro comercial)
  2. Fase de inicialização
  3. Salários dos empreendedores
  4. Ativos de capital
  5. Ativo circulante (depósito de materiais e mercadorias)
  6. Serviço de empréstimo (juros, reembolso)

Você pode definir a fase de inicialização para si mesmo. É o tempo até a primeira rotatividade chegar. Defina as despesas de consultoria, prestações de leasing, aluguel, publicidade, vendas e seguros, além de uma determinada reserva. Os impostos incorridos por razões operacionais podem já estar incorridos. Pense também nos custos com pessoal.

Os salários empresariais são frequentemente esquecidos, especialmente por comerciantes únicos e em parcerias. Mas aqui também é necessário um mínimo para garantir o custo de vida. No caso de uma corporação, como uma GmbH, isso cai na área de custos com pessoal, que também deve ser razoável para o diretor-gerente.

O ativo imobilizado inclui os custos de aquisição e produção de todos os ativos de longo prazo utilizados na empresa. Podem ser materiais, como imóveis, instalações de produção, máquinas e ferramentas ou equipamentos de escritório: de computadores a faxes e sistemas telefônicos. Eles também podem ser intangíveis, como gastar em patentes ou licenças. (Observe as diferenças nos balanços comerciais e fiscais.)

Como empresário, preste muita atenção à liquidez. Além do sobreendividamento, a insolvência é um motivo de insolvência, por exemplo com uma GmbH. Onde, como comerciante único, você ainda tem a opção de transferir dinheiro da conta poupança privada para a empresa ou restringir saques privados, uma resolução da GmbH é necessária se você deseja permitir que um empréstimo para acionistas seja pago na empresa. Portanto, você deve estar familiarizado com as medidas para manter a liquidez, como celebrar um contrato de leasing para estender as despesas com a compra de uma máquina ou faturamento antecipado, incluindo lembretes. Mas observe também dívidas incobráveis ​​se não houver depósitos de clientes.

A conta de ganhos e perdas

Claro, você só quer escrever lucros. Mas você não pode evitar refletir completamente a situação de ganhos da sua empresa de acordo com os princípios do Código Comercial Alemão (HGB) .4 Para empresas, o HGB especifica um esquema para a conta de ganhos e perdas (P&L). Você pode usar isso como um guia. A demonstração do resultado registra as receitas e despesas de um período, ou seja, o exercício.

Em poucas palavras: por um lado, registre todas as vendas e outras receitas operacionais e, por outro lado, tempo e esforço. As despesas incluem o custo de materiais para matérias-primas, consumíveis e suprimentos e serviços adquiridos, despesas com pessoal e contribuições para a previdência social, depreciação e outras despesas operacionais, como aluguéis, reparos, despesas com publicidade e viagens.

Como obter o resultado operacional. Após deduzir as despesas com juros para a manutenção da sua empresa e acrescido da receita com juros, você receberá o resultado de atividades comerciais comuns, com base nos pagamentos de impostos. Após deduzir os impostos, você receberá o lucro anual pelo período mostrado, geralmente o ano civil.

O equilíbrio

O balanço mostra a situação financeira da sua empresa em uma data fixada, geralmente em 31 de dezembro, portanto é apenas uma exibição de data fixada. Você pode encontrar exemplos no Diário Eletrônico Federal em www.bundesanzeiger.de. Por um lado, estão os ativos da empresa, os ativos e, por outro lado, o capital empregado, discriminado por origem (patrimônio ou dívida / dívida), os passivos. Se você agora tem uma imagem de uma escala em mente, isso é exatamente correto: o equilíbrio vem do italiano “Bilancia”, a escala. O básico também pode ser encontrado no HGB.

Com o capital disponível para sua empresa, você cria valor. A fonte de recursos no passivo é o capital social integralizado, por exemplo, 25.000 euros como capital social na GmbH, e os passivos que você deve aos seus credores. Isso contrasta com os ativos ou ativos da sua empresa. Trata-se essencialmente de ativos fixos, que incluem ativos tangíveis, como terrenos, edifícios, máquinas e equipamentos ou ativos financeiros de longo prazo, mas também ativos intangíveis, como patentes e ativos circulantes, consistindo em estoques, estoques, reclamações contra clientes ou devedores e o dinheiro disponível. (A decomposição é baseada na possibilidade de liquidação: as mercadorias que podem ser liquidadas mais rapidamente estão listadas abaixo).

O fluxo de caixa

A liquidez é tão importante para sua empresa quanto o sangue é para as pessoas. Sua empresa seca sem liquidez.

Portanto, preste mais atenção ao planejamento de liquidez. No final do dia, mesmo as seguradoras de saúde de seus funcionários têm uma obrigação legal de levar sua empresa à falência se você não pagar as contribuições para a previdência social pontualmente todos os meses. Nós nem queremos falar sobre os pagamentos de impostos que não chegam a tempo no escritório de impostos. Pagamentos atrasados ​​definitivamente resultarão em ordens de pagamento, multas dolorosas e taxas atrasadas.

Deve-se fazer referência à literatura sobre as diferenças no cálculo direto da liquidez (fluxo de caixa) usando o planejamento de liquidez e o cálculo indireto usando valores diferentes da demonstração do resultado e do balanço.

Profundo entendimento do planejamento financeiro

Você precisa se familiarizar com os seguintes conjuntos de termos:

  1. Desembolso – despesa – esforço – custos
  2. Depósito – receita – receita – desempenho

Parece confuso à primeira vista. Basicamente, no entanto, é sempre uma questão de alocar essas variáveis ​​de fluxo de acordo com o período.

Tamanho do fluxo (descarga)Tamanho do fluxo (entrada)Tamanho de estoque
DesembolsoDepósito
Caixa e equivalentes de caixa (caixa registradora + conta corrente)
resultadoIngestãoAtivos financeiros (caixa e equivalentes a caixa + contas a receber de curto prazo – passivo de curto prazo)
esforçoProduçãoTotal de ativos (caixa + propriedade)
custospoderAtivos necessários (resultado da atividade operacional – consumo de valor relacionado)

Aqui estão três exemplos de tamanhos de fluxo para escoamento superficial. Considerações semelhantes surgem para o lado da entrada:

  • Um pagamento sem esforço está disponível, por exemplo, quando um empréstimo é pago: o dinheiro e seus equivalentes diminuem. No entanto, os ativos financeiros permanecem os mesmos, uma vez que os passivos também diminuem ao mesmo tempo.
  • Gastar sem esforço é comprar uma máquina ou aumentar o estoque. Por outro lado, o consumo de matérias-primas no mesmo período é uma despesa com despesa.
  • Os reparos em edifícios que não atendem ao objetivo operacional são uma despesa sem custos. É uma saída de fundos que não foi causada pela criação de serviços operacionais.

9. Plano de realização

“O plano não é nada, o planejamento é tudo”. Aproxime-se deste bon mot em sua mente e você já está do lado vencedor. Porque no momento em que você, como empreendedor, lida com seu plano de implementação, cria segurança em suas ações.

Alguém fala do plano de implementação ou deveríamos dizer o cronograma de implementação? Agora você deve colocar suas tarefas de negócios em uma estrutura vinculada a recursos e horários. A representação final geralmente é o gráfico de Gantt, uma ajuda ao planejamento para manter uma visão geral aproximada. Dependendo da natureza do seu projeto, os gráficos de Gantt de um a cinco anos podem ser vantajosos.

Proceda da seguinte forma:

  1. Liste as tarefas.
  2. Atribua um ponto inicial e final a cada tarefa.
  3. Resuma as tarefas em pacotes de trabalho.
  4. Forneça uma meta para um pacote de trabalho.
  5. Registre o tempo em que você deseja atingir uma meta.
  6. Atribua tarefas e pacotes de tarefas a uma pessoa.

Ao designar pessoas para tarefas no nível do trabalho, você já preencheu a lacuna da implementação. Ao atribuir responsabilidades, você completa o plano de implementação. Observe:

Por um lado, considere os tempos de buffer. Nem tudo funcionará da melhor maneira. No entanto, é necessário um tratamento honesto e comunicação aberta. Quem instala buffers desconhecidos apenas para sempre atingir seus próprios objetivos “pontualmente” não está agindo no interesse da empresa. Na pior das hipóteses, todo o projeto é arriscado. Os tempos de buffer que se tornaram livres devem ser compartilhados.

Segundo, considere o caminho crítico. Muitas vezes, várias tarefas ou pacotes de trabalho são entrelaçados de tal maneira que uma falha atrasa a próxima etapa. Sempre que você depende de pessoas externas, é, por exemplo, um caminho crítico. Uma autoridade de licenciamento emite compromissos ou concede prazos que não podem ser perdidos. Caso contrário, você será adiado para o próximo trimestre. Afinal de contas, tempo é dinheiro.

Dica: ao planejar, você deve começar do início, mas também observe tudo no final para verificar. Isso geralmente abre novas perspectivas. Fins de semana, feriados e férias escolares costumam ser irrelevantes como empresário. No entanto, isso muda rapidamente quando outras pessoas estão envolvidas.

E se você planejar muito otimista?

Se o planejamento for otimista demais, você poderá acumular recursos ou alugar espaço que não pode utilizar totalmente. Isso pode diminuir rapidamente a liquidez.

E se você planeja ser pessimista?

Os negócios estão indo melhor do que você pensava, mas agora você precisa atender à demanda com os mesmos recursos. A qualidade pode cair ou você corre o risco de um concorrente atender à crescente demanda.

Planeje da maneira mais realista possível. É claro que você, como um aspirante a empreendedor, deve primeiro formar experiência. No início, os ajustes serão, portanto, frequentemente necessários.

10. Oportunidades e riscos

Oportunidades sobre oportunidades: é da natureza das coisas que a fundadora se lança em seu projeto com entusiasmo e sua visão corporativa pintada em cores deslumbrantes. Isso é uma coisa boa, porque quem quer perder suas chances.

Portanto, comece a escrever com calma suas chances, como gerar novas vendas ou economizar tempo e recursos. Você pode contratar um químico experiente para economizar tempo de desenvolvimento. A alteração em um requisito de proteção ambiental se concentra no seu produto, que consiste em materiais residuais. Você pode adquirir de forma barata um pool de dispositivos com o qual pode produzir novos produtos antes do planejado.

Mas e os riscos de um projeto empreendedor? Identificar riscos é uma tarefa contínua para o empreendedor, porque os riscos que surgem podem inibir o desenvolvimento bem-sucedido de uma empresa ou, na pior das hipóteses, até comprometer a existência. Termos como pessoas, produtos, tecnologia, legislação e requisitos, fornecedores e desenvolvimentos econômicos devem estar na sua lista de verificação.

Exemplos de riscos:

  • Risco pessoal associado à doença de uma única pessoa que agrega todo o conhecimento da empresa
  • Disputa de patentes com um resultado incerto, porque isso poderia quebrar mercados
  • Aparecem novos produtos que criam maior benefício ao cliente
  • Migração de transportadoras de know-how da empresa devido a melhores ofertas de emprego dos concorrentes
  • Cancelamento das linhas de crédito do banco porque a empresa tem uma má reputação

Enfrente uma análise de risco detalhada. Um risco não é o fim da empresa. Mas você faria bem em descobrir os riscos e combater cada risco com pelo menos uma característica com a qual deseja combatê-lo.

Dica: A análise SWOT é recomendada. SWOT são as primeiras cartas de pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças. Assim, o SWOT analisa os pontos fortes e fracos internos e as oportunidades e ameaças externas, incluindo riscos.

Estamos agora no final da apresentação dos capítulos de um plano de negócios. Mas reserve um tempo para refletir sobre as dicas a seguir.

De capítulo para capítulo e ainda plausível

Muitos planos de negócios não são lidos como relatórios factuais com explicações bem fundamentadas, mas são uma lista de desejos. Muitos esforços de marketing fracassam se o custo e a equipe não estiverem orçados para divulgar seu produto. Será difícil esconder uma lacuna nas habilidades da equipe que dificulte a criação de uma empresa. Os objetivos são definidos de maneira otimista demais, sem a equipe necessária. As etapas de desenvolvimento são frequentemente repetidas, mesmo com resultados ruins, em vez de consultar provedores de serviços experientes e reduzir os tempos para o próximo marco. As vendas são irrealisticamente altas em comparação com a concorrência, que ao mesmo tempo exige muito mais funcionários do que o planejado.

Estes são alguns exemplos dos quais o observador praticado percebe fatos que não foram consistentemente refletidos e falta de plausibilidade.

Dica: verifique suas declarações quanto à plausibilidade. Dê uma olhada no seu trabalho com alguns dias de intervalo, ou melhor ainda: deixe que outra pessoa leia seu plano de negócios. Funciona melhor com um treinador experiente que já leu os planos de negócios.

Como o poeta e humorista alemão Erich Kästner disse uma vez: “Não há nada bom a menos que você faça isso.” Então, como sua idéia deve se transformar em uma ideia de negócio bem fundamentada e, finalmente, nos clientes do mundo das vantagens e benefícios de seu produto ou serviço? Experimente o seu serviço, desde que seja apenas uma estrutura nublada na sua cabeça? Por mais difícil que seja, para começar: comece. Onde você fica preso, há uma boa ajuda. Milhões de outras empresas foram fundadas neste mundo. Muitos problemas que parecem novos para você já foram resolvidos várias vezes.

Você já fala o idioma “empreendedor”?

Há cada vez mais vozes que o plano de negócios clássico já teve seu dia e que o modelo de negócios está cada vez mais aparecendo . Essa opinião tem seu charme na era da Internet, se você puder alcançar muitas pessoas com algumas informações bem preparadas que podem ter uma idéia ou fazer um julgamento. A tendência de multidão (multidão de pessoas) na nuvem (nuvem da Internet) para a avaliação de ideias de negócios aumentará. Novos métodos, como a tela do modelo de negócios  ou os arremessos do elevador, ameaçam deslocar o plano de negócios. No entanto, é essencial lidar com o assunto. A linguagem “empreendedor” é independente do formato em que você coloca sua ideia no papel ou nos ouvidos.

Gostar de ler

Guardei minhas 15 melhores dicas para facilitar a leitura do seu plano de negócios:

  1. Explique os termos técnicos e evite o chinês técnico.
  2. Explique as abreviações, se necessário, em uma lista de abreviações.
  3. Escreva frases curtas e simples.
  4. Exclua duplicatas e repetições.
  5. Evite coloquialismos e expressões.
  6. Use fotos para esclarecer e descontrair.
  7. Transporte fatos comparativos em tabelas e diagramas.
  8. Evite exageros e superlativos.
  9. Não brilhe pelo comprimento, mas pela concisão.
  10. Escolha uma fonte legível sem frescuras.
  11. Aproveite uma estrutura clara com cabeçalhos claros.
  12. Faça seus cálculos compreensíveis através de explicações.
  13. Verifique suas explicações quanto à plausibilidade.
  14. No final, peça a outra parte que leia novamente o plano de negócios.
  15. Elimine erros de digitação, espaços duplos e alemão ou inglês incorreto.

Desejo-lhe muita alegria e sucesso na implementação da sua ideia de negócio.

literatura

  1. McKinsey & Company, Planejamento, fundação, crescimento: sucesso com o plano de negócios profissional, Redline, 2010
  2. Science4Life eV, manual – diretrizes para a criação de um plano de negócios, 4ª edição, www.science4life.de
  3. Günter Faltin, Chefe capitaliza, dtv, 2012
  4. Código Comercial (HGB), textos de Beck, 54ª edição, 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *